O valor dos contos de fadas e a importância de contar histórias

Gostou? Essa reportagem você pode ler na íntegra aqui!

Contar histórias é uma forma antiga de transmitir conhecimentos, valores, fantasias e memórias. Temos feito desde tempos imemoriais. O DNA humano é feito de histórias. Ao longo deste post, que acompanham com citações de figuras respeitáveis sobre os assim – chamados contos de fadas, vamos abordar o significado profundo que eles contêm, bem como o papel importante no desenvolvimento saudável da criança e da criança.

O valor dos contos de fadas e a importância de se contar histórias!
O valor dos contos de fadas e a importância de se contar histórias!

“Se você quer que seus filhos sejam espertos, leia os contos de fadas, se você quer que eles sejam mais inteligentes, leia mais contos de fadas. Quando examino a mim mesmo e meus métodos de pensar, chego à conclusão de que o dom da fantasia significava mais para mim do que qualquer talento do pensamento abstrato e positivo ” – Albert Einstein.

Contar histórias é preservar memórias, é interação é o pensar em conjunto, foco, raciocínio, memória, é amor. Simples assim, é amor!

Aqui na Cia das Mãos, você encontra uma grande variedade de fantoches, bonecos e material para contar histórias, vem espiar! www.ciadasmaos-gramado.com.br

A gralha azul

Mais uma das aves do meu entorno, também participa da minha coleção bichos da minha serra.  Ave grande, com +/- 40 cm de altura, ela é o símbolo do estado do Paraná, ela ama fazer ninhos nas copas mais altas das araucárias, ninhos grandes com 50cm de largura. De outubro até fim de março elas estão pelos ninhos. Conforme o pinhão amadurece, elas começam a estocar comida, enterrando sementes no chão e em troncos abandonados, muitas vezes elas esquecem onde e com isso uma nova árvore nasce.

Hoje em dia se vê com preocupação sua sobrevivência a longo prazo, as florestas de araucárias foram reduzidas a 4% do tamanho original de muitos anos atrás. E o que vai acontecer? Apesar delas não dependerem exclusivamente das araucárias, apenas ser seu ambiente predileto.

Com isso ela virou um fantoche desta coleção, para conversar com as crianças dos nossos entornos, para formar um senso crítico mais amadurecido quando essa geração estiver em posição de tomar decisões. Apenas com muita informação, conhecimento, poderemos mudar um pouco o rumo das tragédias anunciadas.

O link dela na loja virtual é este aqui https://ciadasmaos-gramado.com.br/teatro-de-bonecos/fantoche-de-brincar/fantoche-colecao-bichos-da-serra-gaucha/  e se você puder comprar um fantoche, conversar com uma criança, levar isso para uma sala de aula, será um pequeno passo, mas juntos formamos um caminho bacana.

Desta coleção participam o gambá, o ouriço, o macaco bugio, o quero quero, a gralha azul e também o papagaio charão!

Gambá, um dos bichos da serra!

De que serra? Qualquer uma! Gambá é um bichinho que aparece com frequência. Muitas vezes confundidos com o rato, ele apanha, é morto, mas existem muitas pessoas interessadas em propagar conhecimento à respeito deles, inclusive eu, com os meus fantoches. Gambá é um dos bichos que mais come carrapatos, você sabia? Ele não é agressivo, não transmite doenças, come os carrapatos, come frutas, mas leva uma fama!! Que dó!! Na época das ninhadas, as mamães andam com a prole toda pendurada das costas, estão pesadas e lentas, virando um alvo mais fácil ainda.

Acredito que para termos adultos mais conscientes é preciso ensinar as crianças, trazer essa realidade até elas, e mostrar fatos para que elas possam construir um interesse sobre o assunto. A preservação da nossa bicharada! Sim, começando pelo gambá.

Com o gambazinho, abrirei espaço para a coleção bichos da minha serra, com o gambá, o ouriço, o macaco bugio, os pássaros quero quero, a gralha azul e o papagaio charão, todos típicos da serra gaúcha, com histórias interessantes, fatos curiosos e podem sim, virar fantoches e difundir conhecimento. Esse trabalho não é patrocinado, é espontâneo, então se você quiser ajudar, compre um fantoche e converse com as crianças no seu entorno já será  de gigantesco valor! Se cada um der um passo, caminharemos juntos um caminho.

O link da loja virtual está aqui https://ciadasmaos-gramado.com.br/teatro-de-bonecos/fantoche-de-brincar/fantoche-colecao-bichos-da-serra-gaucha/fantoche-gamba/

Fantoche, um mundo em uma palavra!

Trago aqui um trecho da wikipedia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Fantoche)

Fantoche ou títere (um empréstimo do espanhol títere) é uma forma particular de marioneta (português europeu) ou marionete (português brasileiro) animada por uma pessoa e que se distingue pela manipulação que resulta da introdução da mão numa espécie de luva em que o dedo indicador vai suportar a cabeça do boneco, o polegar e o anelar suportam e movem os braços. Por isso também é designado por marioneta de luva. Em sentido restrito, marioneta entende-se como marioneta-de-fios.

O fantoche possui uma face com grande expressividade, sendo os braços e mãos movimentados pelos dedos e muitas vezes é designado também pelos nomes dos personagens populares mais famosos em cada país: Roberto em Portugal, Cristóbal em Espanha, Guignol em França, Kasperl na Alemanha, Kaspérek na República Checa, Petruchka na Rússia, Burattino ou Pulcinella em Itália, Punch em Inglaterra, etc.

Na cultura popular nordestina do Brasil há um tipo particular de fantoche, o mamulengo.

Os termos fantochetítere e bonifrate são frequentemente usados pejorativamente para designar pessoas sem vontade própria que são manipuladas por outrem.

O dia do fantoche é comemorado em 9 de maio.

Eu gosto muito do feltro para confeccionar meus fantoches de luva, ele é um material anti alérgico, encontrado facilmente em todas as cores, tem um certo encorpamento, estruturando bem o trabalho. Não desfia a beirada, permitindo cortes retos, costuras sobrepostas, enfim, é um material muito bom inclusive para quem nunca trabalhou com ele e se arriscará a trabalhar pela primeira vez.

Neste final de ano, arrisquei usar as peles e forros de casacos, já foi uma outra história, outra plasticidade, outro efeito final, muito bacana. Os bichinhos ficaram vivos, causaram mais impacto, apresentaram um movimento de realidade mais crível. Pelúcias, bem vindas a partir de então, por aqui ❤

Fantoche ursinho, confeccionado com pele artificial, acrílica, anti alérgica. A aparência do bicho é muito mais realista. Foi sucesso aqui na loja, lançado durante a primavera 2018. www.ciadasmaos-gramado.com.br
Fantoche ursinho, confeccionado com pele artificial, acrílica, anti alérgica. A aparência do bicho é muito mais realista. Foi sucesso aqui na loja, lançado durante a primavera 2018. http://www.ciadasmaos-gramado.com.br